Buscar
  • BC Marketing

Síndico, você sabe como ter controle total da segurança do seu condomínio?


Mesmo que o condomínio que você administra tenha usado com sucesso o mesmo sistema de controle por anos, você, síndico profissional, deve considerar implementar um sistema mais moderno e repensar uma mudança para atualizar o seu plano de segurança.


Mantenha seus moradores, inquilinos e bens do edifício protegidos, tendo um plano e tecnologia para fornecer acesso seguro às pessoas certas nas áreas certas de seus edifícios.

É importante entender que o controle de um condomínio e de um edifício é parte de um plano de segurança completo, que inclui alguns pontos importantes.


Entre os principais detalhes, é preciso pensar no projeto físico do edifício (se ainda faz sentido, caso seja um modelo antigo) e sistemas e operações de segurança complementares (como câmeras, portões eletrônicos e, um dos quesitos mais importantes, treinamento para funcionários).


Não importa em que estágio de maturação da ideia de melhorar o controle de condomínio está, mas há alguns pontos extremamente relevantes a considerar para fortalecer o seu sistema de controle de acesso ao edifício que você administra como síndico.


Uma grande parte do trabalho de um síndico neste caso é supervisionar as operações do dia a dia e garantir que, diariamente, os padrões de segurança sejam atendidos e mantidos.


No entanto, também é responsabilidade do síndico estar preparado para o caso de uma emergência.


Ter uma estrutura adequada para lidar com imprevistos em potencial e problemas de segurança inesperados é uma das melhores maneiras de garantir que todo o edifício esteja protegido contra danos potenciais.


Isso significa proteção contra tudo, por exemplo, incêndio a falhas tecnológicas de portão e dos controles de acesso, se forem automatizados e eletrônicos.


Quando um síndico é capaz de manter os moradores e o prédio seguros, há uma maior confiança no trabalho do síndico.


Um profissional bem preparado para administrar um condomínio tratará seu prédio como um organismo vivo, que precisa de cuidados para manter o patrimônio.


Isso significa manter a segurança do prédio em mente o tempo todo e fazer as coisas todos os dias para mantê-lo o mais protegido possível.


Avalie os recursos do seu sistema de controle de acesso


Pense, o que você precisa do seu sistema de controle de acesso para o condomínio? A sua configuração atual tem isso? Talvez seja hora de repensar esse controle para que moradores fiquem tranquilos.


Não escolha um sistema apenas com base em sua aparência, preço ou qualquer outra coisa. Veja os recursos disponíveis e de que forma isso ajudará no controle do seu condomínio. Ao escolher um sistema de controle de acesso, considere:


  • As áreas do prédio onde o sistema é necessário;

  • Horários em que será usado para obter acesso;

  • Quantas pessoas terão níveis de acesso separados;

  • Como ele se encaixa em qualquer outro componente do edifício.

Determine os acessos


Nem todos precisam de acesso a todo o seu edifício. Antes de decidir quem deve ter qual acesso, observe o próprio edifício para determinar quais áreas precisam de diferentes níveis de proteção.


Se você, síndico, tiver um mapa do prédio e dividi-lo, tornando certas zonas de cores diferentes com base no nível de acesso ou segurança que é necessário, e, a partir disso, decidir que nível de acesso será necessário e se há alguma restrição de horário ou data.


Do portão para fora: essa é a primeira questão que você deve pensar. É preciso identificar quando as pessoas podem ter acesso ao edifício, se isso será determinado por um porteiro, se este funcionário ainda faz sentido, entre vários questionamentos.


Pode fazer mais sentido estabelecer que todas as pessoas, incluindo moradores, visitantes e funcionários, entrem e saiam por uma porta principal, para poder monitorar facilmente quem está entrando e saindo.


A partir daí, decida a quais áreas os diferentes funcionários, que necessitam de confecção de uniformes profissionais, precisam acessar e se apenas eles terão acesso a essas partes internas do prédio.


Ao configurar um sistema de controle dentro do condomínio, você precisa garantir que todos tenham o nível certo de acesso para suas necessidades. Lembre-se, um controle de acesso moderno é assim.


Pode parecer burocrático, mas, atualmente, com a quantidade de golpes que ladrões e bandidos aplicam, há grandes justificativas para essa segurança e esse controle.


É interessante também fazer uma espécie de formulário padrão, separado para cada tipo de pessoa que poderá entrar. Portanto, um formulário dos moradores, por exemplo, com as informações em mãos de cada condômino, é possível ter um controle e evitar fraudes.


Este formulário é interessante para impressão de várias vias, principalmente, para deixar com os funcionários e com o síndico, responsáveis por quem entra e sai do edifício,


É possível também, em modelos mais modernos, automatizar essa movimentação, conectando o sistema de controle de acesso a um banco de dados de quem pode entrar e sair.


Atualize seu sistema recorrentemente


Proprietários e síndicos precisam considerar a instalação de tecnologia criptografada e, dependendo do caso, até um software de gestão empresarial para apenas os moradores e funcionários entrarem e saírem do prédio.


Assim, garante-se que não haverá cópias de senha, nem nada parecido com isso. Ou seja, a segurança ganha mais um nível de proteção.


Para que tudo saia nos conformes, faça um orçamento detalhado, com várias especificações técnicas, pesquise diversos lugares que oferecem esse serviço, pegue recomendações de outras equipes de segurança, entre outros pontos.


Por exemplo, pode ser que uma empresa de consultoria fiscal já tenha utilizado esse mesmo serviço, então uma boa ideia é pegar algumas referências e dicas, para sempre manter tudo atualizado e protegido.

Uma boa dica de administração de segurança e prevenção é começar a incluir no orçamento o próximo sistema. Mantenha sempre esse sistema de controle de acesso atualizado, chamando técnicos responsáveis pela manutenção e atualizações.


Realizar testes periódicos de sistemas de controle de acesso


Assim como você testaria seus alarmes de fumaça em sua casa, para ter certeza de que estão funcionando quando você precisar deles, certifique-se de testar seu sistema de controle de acesso de forma periódica.


Todos os dispositivos devem estar funcionando conforme o esperado. Caso o contrário, realize serviços de abertura de empresa para fazer a sua própria gestão, sem precisar de terceiros.


Questões de segurança


Manter a porta aberta para alguém pode parecer educado, mas pode ser arriscado, principalmente nos dias atuais, onde a segurança está cada vez menor.


O ato conhecido como “utilização não autorizada” é uma questão importante para a segurança do edifício e pode ser difícil de controlar se não houver um curso de capacitação online, treinamento, nem materiais educativos que mostrem aos moradores o que deve ser feito.


Outra maneira de reduzir a utilização não autorizada é ter pelo menos duas entradas até de fato a área comum do prédio. Pelo menos, assim, são dois passos para evitar que alguém aproveite e consiga de fato entrar. Duas barreiras já ajuda a diminuir o risco.


Avalie seus riscos potenciais de segurança


Observe seus níveis atuais de segurança e controle de acesso, principalmente, para determinar onde devem estar seus pontos fracos ou áreas de melhoria.


Especialistas sugerem que você faça uma avaliação abrangente de prevenção ao crime e até contrate uma empresa de paisagismo, para deixar o mais nítido possível a entrada do prédio e o seu jardim. Você deveria perguntar as seguintes questões


  • Qual é o seu potencial alvo?

  • Qual é a atitude predominante em relação à segurança?

  • Quem é responsável pelo programa de segurança geral?

  • Como as políticas de segurança são aplicadas?

  • Quando foi desenvolvido o plano de preparação para emergências atual?

  • Quais recursos estão disponíveis localmente?

  • Quão rápidos são os tempos de resposta para bombeiros, polícia e ambulâncias?

  • Que tipo de sistemas e controles de segurança são usados ​​atualmente?


Os proprietários e síndicos devem, a partir disso, listar tudo o que o prédio precisa fazer esse primeiro raio-x preventivo. Veja o diagnóstico dos seus problemas, liste as medidas de segurança e faça orçamentos, considerando também uma revisão de impostos gerais.


A avaliação em si depende do tipo de risco que o edifício enfrenta e das operações que ocorrem no condomínio. Não é fácil desenvolver o nível certo de segurança que deixe, principalmente, os seus moradores confiantes e seguros.


Se sua empresa não tem um profissional de segurança na equipe, é possível encontrar consultores e fazer um mapeamento de competências, para realizar esse tipo de serviço para você e para o edifício.


Por fim, tenha sempre as informações de contato mais atualizadas para sua lista de chamadas de emergência.


Muitas vezes, tomar precauções para um síndico pode fazer toda a diferença. Siga os passos relatados neste artigo e proteja você, sua equipe, seus inquilinos e seu condomínio como um todo.


Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.


9 visualizações0 comentário